Blog

25 Outubro 2016

Autoestima: como ela pode influenciar no trabalho?

De acordo com definição do Dicionário Aurélio, autoestima é a “valorização de si mesmo, amor próprio”. Segundo o consultor de coaching da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Jonas Tokarski, a autoestima é essencial para desenvolver um trabalho e para ter disponibilidade para enfrentar o dia a dia.

 

No ambiente de trabalho, explica ele, ela é essencial para formar a imagem que o profissional passa para os colegas e para a chefia, visto que ela impacta diretamente no relacionamento com a equipe.

 

Baixa e alta

 

Além disso, ela influencia na produtividade e no desempenho do trabalhador, podendo até trazer riscos para a saúde do mesmo.

 

As situações acima são consequências da baixa autoestima, que pode ser desencadeada por problemas na infância, recorrência de feedbacks negativos, traumas, excesso de crise, entre outros. No trabalho, ela pode se desenvolver por conta da falta de reconhecimento, de incentivos e por conta de lideranças mal preparadas.

 

Ainda segundo Tokarski, quem sofre de baixa autoestima geralmente tem o hábito de reclamar de tudo, não consegue enxergar perspectivas no futuro, pode se envolver em brigas e apresentar uma grande insegurança sobre a própria capacidade de realizar as tarefas que lhe são atribuídas.

 

Por outro lado, o excesso de autoestima pode prejudicar o relacionamento do profissional com o restante da equipe, visto que este pode passar uma imagem de arrogância e, muitas vezes, cometer erros ao não aceitar a ajuda de outras pessoas, por se achar autossuficiente.

 

Como combater?

 

Para tentar amenizar os efeitos de uma autoestima desequilibrada, o consultor explica que é preciso reconhecer o grau e as causas do problema, já que, dependendo dessas variáveis, é preciso buscar ajuda profissional.

Contudo, se ela for motivada por problemas no trabalho, sobretudo a baixa autoestima, a pessoa pode tentar conversar com o líder, perguntando o que ela pode fazer para melhorar e se colocando à disposição para novos desafios.

 

Fonte: Portal Administradores

Investir em conhecimento é fundamental